AEDA suspende Processo Seletivo Simplificado de Professores e Administrativo em Araripina

maria-ramos-aeda-araripina

A Autarquia Educacional do Araripe (AEDA), que é a gestora da FACISA, FAFOPA e FACIAGRA no município de Araripina, Sertão de Pernambuco, não irá mais realizar o Processo Seletivo Simplificado de Professores e Administrativo 2016.

A notícia pegou muita gente de surpresa e, foi repassada pela própria diretora-presidente da Autarquia, professora Maria Ramos, na tarde desta quinta-feira (20), no programa Araripina Urgente pela rádio Arari FM.

“Eu quero esclarecer a população de Araripina, que a Seleção Simplificada é um ato administrativo, que por lei, nós somos obrigados a fazer. Sempre que a gente está terminando um período letivo, principalmente no final de ano, nós temos que preparar essa seleção, para acesso de professores e de servidores”, disse a professora.

Ainda segundo Maria Ramos, ninguém pode trabalhar em uma empresa público-privada como a AEDA, sem passar por uma seleção ou um concurso público, como exige o Tribunal de Contas.

“Como a gente não pode fazer o concurso público, porque quando terminamos de implantar o Plano de Cargos, Carreiras e Vencimentos (PCCV) do professor e do corpo técnico, já foi entrando no segundo semestre e a gente se preparou para fazer o concurso, mas infelizmente veio uma ordem do Tribunal de Contas, impedindo realização do mesmo”, completou a gestora.

A diretora-presidente da AEDA lembrou ainda, que para não criar problema na administração futura, como ela própria já tinha passado no primeiro ano da sua administração, porque já encontrou os professores dando aula sem ter feito a seleção, foi obrigada a pagar uma multa dentro de 48 horas, isso por não realizar a seletiva, motivo pelo qual foi feito o atual edital.

“Infelizmente esse edital que já está no Site da Associação Municipalista de Pernambuco (AMUPE), no portal AEDA e publicada em todos os lugares no País inteiro, teve uma rejeição muito grande dos professores contratados da FACISA e da FAFOPA. A gente tem sempre aquela questão de ser honesta em todas as coisas, fazer as nossas ações sempre com lisura, e digo isso como minha obrigação de cidadã, ser essa pessoa que faz as coisas com honestidade, com transparência e, sobre isso, ‘eles’ tiveram a resposta hoje”, desabafou Maria Ramos.

De acordo com a professora, o edital está causando muita celeuma, muita confusão, inclusive, com alguns professores que fazem parte do grupo político do prefeito que foi eleito recentemente, pressionando para não acontecer a seleção.

“Esses professores estão pressionando muito, inventando conversas, então, eu resolvi não mais continuar com o edital. Eu tenho tudo pra me defender perante o Tribunal e, a próxima gestão que chegar na AEDA, que resolva como fazer. Graças a Deus, nossas decisões foram tomadas conjuntamente com professores conscientes, que sabem que tem que fazer o edital”,  completou a gestora.

A AEDA está se comprometendo a devolver o dinheiro de todas as inscrições. O professor de Araripina, deverá comparecer na sede da Autarquia para receber o que pagou e, os professores de outras localidades, deverão enviar um e-maill pra AEDA, que também devolverá o valor da inscrição, que foi de R$ 100,00. (Do Blog do Roberto)

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.