Bolsonaro questiona assassinato de índio e tem postura condenada pela ONU

Jair Bolsonaro afirmou, na manhã dessa segunda-feira 29, que ‘não tem nenhum indício forte’ relacionado ao assassinato de um indígena no Amapá. O presidente também alegou que “usam o índio como massa de manobra” e que ONGs estariam interessadas nas riquezas da Amazônia.

A declaração foi dada para jornalistas no Palácio da Alvorada. Bolsonaro questionou o por quê das terras demarcadas no Brasil estarem apenas em áreas ‘riquíssimas’, e ainda afirmou que a Amazônia pode se transformar em outros países. “Por que não legalizaram indígena em cima de terra pobre? Não existe. Há um interesse enorme de outros países de ganhar, de ter para si a soberania da Amazônia.” Também disse que a Polícia Federal e o Ministério Público já foram acionados para investigar o caso.

No sábado 27, a Funai (Fundação Nacional do Índio) confirmou a morte de uma pessoa após denúncia de invasão de garimpeiros na Terra Indígena Waiãpi, em Pedra Branca do Amapari. “Por ora não há registros de conflito, apesar de ter sido confirmado um óbito, mas não há detalhes das circunstâncias. O local é de difícil acesso”, informou a Fundação. (Carta Capital)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.