Alepe aprova PL que dá atendimento prioritário a portadores de doenças raras

A Assembleia Legislativa de Pernambuco (Alepe) aprovou, nessa segunda-feira (12), um projeto de lei que garante o atendimento prioritário às pessoas com doenças raras na rede de saúde pública e privada do Estado. De autoria da deputada estadual Clarissa Tércio (PSC), o projeto segue para a sanção do governador Paulo Câmara (PSB).

Clarissa Tércio, que já havia sido autora do projeto que cria o “Dia Estadual da Mãe Rara”, justificou no texto que “Pernambuco apresenta um número considerável de pessoas com doenças raras, onde as pessoas portadoras dessas doenças, além de todo sofrimento de suportar uma doença, quase sempre incurável, ainda tem que peregrinar para ter tratamento adequado”.

A criação do “Dia Estadual da Mãe Rara”, a ser comemorado no dia 26 de fevereiro, também foi aprovada pela Alepe, no primeiro semestre. Segundo a parlamentar, o objetivo de conscientizar e lembrar a luta diária que as mães dos pacientes possuem com os seus filhos.

Ouricuri e outras cidades do Araripe são contempladas com nova tecnologia para auxiliar combate às arboviroses

Neste ano, municípios pernambucanos ganharam um aliado para auxiliar no trabalho de campo relacionado às arboviroses (dengue, chikungunya e zika). A Secretaria Estadual de Saúde de Pernambuco (SES-PE) tem entregado aos agentes de endemias smartphones com acesso ao aplicativo e-visit@PE, tecnologia que permite organizar as informações da rotina de trabalho no ambiente online, permitindo a visualização dos dados pelos gestores municipais e estaduais. Atualmente, 25 cidades do Agreste e Sertão já fazem uso da tecnologia.

Em Ouricuri, no Sertão do Araripe, a entrega dos smartphones será às 9h desta quinta (18) no auditório da própria IX Geres. Além do município sede, recebem os aparelhos as cidades de Araripina, Bodocó, Exu, Granito, Ipubi, Moreilândia, Parnamirim, Santa Cruz, Santa Filomena e Trindade.

Ao todo, serão cedidos 304 celulares aos agentes de endemias dos 21 municípios. Com isso, sobe para 580 aparelhos entregues para 46 cidades pernambucanas.

No ambiente online, os trabalhadores têm as informações de toda a sua área de atuação e poderão informar as casas visitadas e quais recusaram ou estavam fechadas, os focos positivos para o Aedes, quantos foram tratados e se houve a necessidade de usar larvicida, se há pessoas com suspeita de alguma das arboviroses no domicílio, entre outros dados.

Ações de fiscalização aconteceram em Ouricuri, Araripina e Trindade, no Araripe, durante a Caravana da Saúde Bucal

As ações da Caravana da Saúde Bucal fortalecem a Odontologia como um todo. E a fiscalização também acompanha as atividades durante a passagem do CRO pelos municípios: Nos dias 08, 09 e 10, o fiscal responsável pelas Regiões das Geres 7, 9, 10 e 11 realizou ações em Araripina, Trindade, Ouricuri, Verdejante e Serra Talhada. Ao todo, foram visitados 21 (vinte e um) locais, sendo 19 (dezenove) deles no setor privado e 02 (dois) no público.

Confira o que disse o fiscal Anderson Candeia:

“Nos dias 08, 09 e 10 de julho, paralelo às atividades da Caravana de Saúde Bucal 2019 pelo Sertão, foram realizadas ações de fiscalização pelos municípios de Araripina, Trindade, Ouricuri, Verdejante e Serra Talhada. Ao todo, foram visitados 21 (vinte e um) locais, sendo 19 (dezenove) deles no setor privado e 02 (dois) no público. Destas visitas, 11 (onze) foram motivadas por denúncias enviadas aos canais disponibilizados pelo Setor de Fiscalização do CRO-PE; 04 (quatro) foram retorno de prazos emitidos em fiscalizações anteriores; e 06 (seis) foram inspeções de rotina, das quais 05 (cinco) em estabelecimentos recém-inaugurados.

Dentre as principais irregularidades encontradas, ressaltam-se: profissionais cirurgiões-dentistas inscritos em outros Regionais e sem a adequada inscrição junto ao CRO-PE; atuação de empresas sem a devida inscrição legal; profissionais auxiliares em saúde bucal e prótese dentária exercendo suas funções também sem a correspondente inscrição no Conselho; estabelecimentos apresentando nome fantasia, mas sem personalidade jurídica; e diversas propagandas contrariando as normas deontológicas vigentes, veiculadas em redes sociais, panfletos, outdoors, para-brisas de automóveis e em caixas de som posicionadas nas calçadas de consultórios. 

Para algumas infrações, foram expedidas notificações com prazo para adequação ou remoção das mesmas. Para as demais, solicitar-se-á abertura de processo ético junto à Comissão de Ética do CRO-PE, tendo em vista a prática reincidente do profissional, bem como a gravidade da irregularidade cometida.” 

Equipe do Pronto Socorro São Francisco presta atendimentos gratuitos em Salgueiro

O Pronto Socorro São Francisco, hospital privado localizado em Salgueiro, tem prestado relevantes serviços ao Lar São Vicente, que acolhe idosos em situação vulnerável em toda a região.

Hóspedes da instituição filantrópica são atendidos gratuitamente por toda a equipe do Pronto Socorro. Médicos renomados, como Luiz Henrique, Pierre de Carvalho e Patrícia Belfort, oferecem exames laboratoriais e até cirurgias de próstata, que geralmente não fazem pelo SUS. (Alvinho Patriota)

Bebê nasce com dois sexos em Petrolina e família busca ajuda para fazer cirurgia

Um bebê nasceu com os dois sexos expostos no Hospital Dom Malan (HDM)/Imip, em Petrolina. A mãe registrou a criança como menina, pois um exame de ultrassom, feito antes do parto, indicava sexo feminino. A mãe da criança, uma adolescente de 16 anos, disse que a luta agora é para realizar a cirurgia para a definição do sexo.

A família dela mora no distrito de Nova Descoberta, zona rural de Petrolina. Muito carentes, estão em busca de ajuda financeira, tanto para realização de exames da criança, como para alimentação e custeios da casa. A menina tem dois meses de vida.

A mãe da criança disse a este Blog que conseguiu, junto à Secretaria de Saúde, levar a filha ao pediatra e fez um exame, mas vai precisar fazer outro, que não é custeado pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Sobre a cirurgia, Maiara disse que custa em torno de R$ 8 mil e deve ser feita no Recife (PE). (Carlos Britto)

Ouricuri supera meta de vacinação contra gripe e atinge 98,91% da cobertura vacinal

O município de Ouricuri, no Sertão do Araripe pernambucano, foi o primeiro da região a alcançar a meta estabelecida pelo Ministério da Saúde (90%) na cobertura da vacina contra a gripe. Ao término da campanha, sexta-feira (31 de maio), Ouricuri superou a meta atingindo 98,91% da cobertura vacinal.

Segundo informou a coordenadora do Programa Nacional de Imunização (PNI) de Ouricuri, Jacilene Matos, ao Programa Tribuna Livre Meio Dia da Rádio Grande Serra FM 91,3 nessa quinta-feira (06) o estoque da vacina contra gripe chegou ao fim no município.

Equipe da saúde de Santa Filomena continua realizando mutirões contra gripe

Dando continuidade à campanha de vacinação contra vírus influenza, a Secretaria de Saúde de Santa Filomena realizou mais um mutirão de vacinação em frente ao prédio da Prefeitura na manhã desta quinta-feira (23), em uma tenda instalada para vacinar idosos e pessoas cabíveis dentro do quadro de vacinação contra gripe.

A campanha de vacinação segue até o dia 31 de maio e a vacina está disponível em todos os PSFs do município.

Programa pretende ampliar serviços e horários de postos de saúde

O Ministério da Saúde pretende ampliar os serviços e os horários de atendimento das unidades de saúde da família (USFs). Por meio do programa Saúde na Hora, anunciado ontem (16), a ideia é disponibilizar mais recursos para prefeituras que, em contrapartida, devem cumprir requisitos como abrir as unidades de saúde no horário de almoço, à noite e nos finais de semana, bem como manter prontuários eletrônicos atualizados.

Esse programa inicia a reorganização da atenção primária [à saúde]. Ele tem um olhar que facilita para que o gestor municipal possa reorganizar o horário de funcionamento e o número de equipes e os critérios mínimos de atendimento de suas unidades, priorizando a gestante, a vacinação, e dando, às USFs utilização, uma vez que são prédios públicos que ficavam abertos somente das 7 às 11h e das 13 às 17h”, explicou o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, hoje (16) ao anunciar o programa.

Dessa forma, o governo pretende auxiliar os gestores municipais a reorganizarem o formato dessas unidades que, atualmente, é de 40 horas semanais. “Acrescentamos os [formatos] de 60 e 75 horas semanais. Isso descomprimirá a porta de urgência das unidades de pronto atendimento e dos prontos-socorros”, acrescentou.

As unidades terão, também, de ampliar a oferta de serviços à população. Entre os serviços a serem prestados estão o de acolhimento com classificação de risco; consultas médicas e de enfermagem nos três turnos; consultas de pré-natal; oferta de vacinação; coleta de exames laboratoriais; rastreamento de recém-nascidos, gestação e de doenças sexualmente transmissíveis; e pequenos procedimentos injetáveis, curativos, além de pequenas cirurgias e suturas.

De acordo com levantamento apresentado pelo ministro, 336 USFs já funcionam em horário ampliado; e 2.289, localizadas em 400 municípios, já estão aptas a participar do programa. A essas cidades basta enviar proposta ao Ministério da Saúde por meio do sistema E-Gestor. A proposta deverá informar quais unidades pretendem adaptar ao novo modelo.

Segundo o Ministério da Saúde, há, no país, 42 mil postos de saúde. A maioria funciona no regime de 40 horas semanais.

Mais recursos

O incremento nos repasses dependerá da quantidade de equipes e do modelo de ampliação de cada unidade.

As USFs que ampliarem de 40 para 60 horas, sem atendimento odontológico, receberão um incentivo de adesão de R$ 22,8 mil. Caso tenham atendimento de saúde bucal, o incentivo sobe para R$ 31,7 mil. Já as unidades que atendem pelo período de 75 horas semanais e fazem atendimento de saúde bucal receberão um incentivo de adesão de R$ 60 mil. Quanto ao financiamento das USFs, os repasses terão aumentos que variam de 106,7% a 122%.

A previsão é de que, em 2019, o programa represente um aumento de R$ 150 milhões no orçamento das unidades, para atender cerca de 1 mil unidades – número que, segundo o ministro, pode ser ampliado para 1,3 mil em 2020; 1,7 mil em 2021; e 2 mil em 2022.

A portaria que institui o programa foi assinada durante a cerimônia de ontem e deve ser publicada no Diário Oficial da União de amanhã (17). (Da EBC)

Faltam 60% dos medicamentos na Farmácia de Pernambuco

Imagem ilustrativa

Dos 231 medicamentos que devem fazer parte da lista da Farmácia de Pernambuco, 139 estão em falta. A conta espelha uma taxa de desabastecimento de 60% e retrata as queixas frequentes dos pacientes que precisam da medicação para manter sob controle doenças crônicas, transtornos mentais, patologias autoimune, deficiência do hormônio de crescimento e até dores superintensas só aliviadas com morfina. O dado é do Ministério Público de Pernambuco (MPPE), que há cerca de três anos abriu inquérito civil público para apurar o desabastecimento.

“Há momentos em que os remédios chegam à farmácia, mas imediatamente a escassez aparece. Medicações para hipertensão arterial pulmonar, por exemplo, já faltaram por cerca de um ano. Ingressamos, então, com ação judicial para o Estado comprar o remédio. Ao longo do tempo, percebemos que outras medicações apresentam oferta irregular”, destaca a promotora de Defesa da Saúde da Capital, Maria Ivana Botelho, que preside o procedimento sobre a Farmácia do Estado.

O índice de desabastecimento, segundo ela, vem da lista disponibilizada pelo governo estadual mensalmente para que o MPPE acompanhe a oferta das medicações. “Essa relação é a mais atual, de fevereiro. Ainda vamos receber a de março. O secretário estadual de Saúde (André Longo) nos garantiu que a disponibilidade de medicamentos é uma das prioridades da gestão. Vamos ter audiência no fim deste mês para debater questões relativas à falta de remédios”, frisa. Ela acrescenta que, durante o encontro, o MPPE discutirá atitudes que o Estado possa tomar para garantir a normalidade do estoque.

A promotora reconhece que o subfinanciamento da Saúde é um dos fatores que comprometem a oferta de medicações. “Já fizemos audiência com fornecedores. Eles alegam não ter condições de se manter com o débito do Estado, que paga a alguns em atraso e continua em dívida com outros”, diz Maria Ivana.

Desde janeiro, assim que assumiu o cargo de secretário de Saúde, André Longo sinaliza reconhecer o problema do desabastecimento. “Por mês, são desembolsados R$ 5 milhões para a compra dos medicamentos. Admitimos que é insuficiente. Estamos criando logística que otimize o processo de compra. Queremos criar um consórcio para que os Estados do Nordeste façam compra compartilhada, em grande escala, para alcançarmos economicidade perante os fornecedores”, informa Longo.

O secretário acrescenta que estão em pauta outros projetos para a farmácia, como a criação de um aplicativo para o cidadão verificar a disponibilidade dos medicamentos sem ter que ir ao estabelecimento. “Também estudamos a possibilidade de melhorar a distribuição dos insumos, com entrega em domicílio.”

Vacinação contra a gripe começa amanhã em todo o país

Foto: reprodução

Começa nesta quarta-feira (10), em todo o país, a Campanha Nacional de Vacinação contra a Gripe. Nesta primeira fase, serão priorizadas crianças com idade entre 1 e 6 anos, grávidas em qualquer período gestacional e puérperas (mulheres até 45 dias após o parto). A escolha, de acordo com o Ministério da Saúde, foi feita por causa da maior vulnerabilidade do grupo.

A partir de 22 de abril, todo o público-alvo da campanha poderá receber a dose, incluindo trabalhadores da saúde, povos indígenas, idosos, professores de escolas públicas e privadas, pessoas com comorbidades e outras condições clínicas especiais, jovens de 12 a 21 anos sob medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas privadas de liberdade.

A escolha dos grupos segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). A definição, segundo a pasta, também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. A meta é vacinar pelo menos 90% dos grupos elegíveis para vacinação.

A vacina

Em nota, o Ministério da Saúde destacou que, em relação ao ano passado, houve alteração de duas cepas na vacina. Em função da mudança na composição, a pasta considera “imprescindível” que os grupos selecionados, ainda que já tenham sido imunizados anteriormente, recebam a nova dose este ano.

“O Ministério da Saúde não indica a utilização da vacina contra influenza com cepas 2018, pois não tem a mesma composição da vacina de 2019, o que faz com que não seja eficaz para proteção.”

Sintomas e prevenção

A orientação da pasta é que indivíduos que apresentem sintomas de gripe evitem sair de casa durante o período de transmissão da doença (até sete dias após o início dos sintomas), restrinjam o ambiente de trabalho para evitar disseminação, evitem aglomerações e ambientes fechados, procurando manter os ambientes ventilados, e adotem hábitos saudáveis, como alimentação balanceada e ingestão de líquidos.

Para prevenir a doença, o ministério recomenda medidas gerais de proteção, como a constante lavagem das mãos, principalmente antes de consumir algum alimento, e a adoção da etiqueta respiratória, que consiste em espirrar na parte de dentro dos cotovelos e cobrir a boca ao tossir, visando à redução do risco de infecção pelo vírus.

Outra dica importante é não compartilhar objetos de uso pessoal, como talheres, pratos, copos ou garrafas. É importante ficar alerta a sinais e sintomas de gravidade para, nesses casos, buscar imediatamente avaliação em uma unidade de saúde. (Agência Brasil)