CPI da covid-19 pediu caso julgado pelo TCE dos respiradores testados em porcos comprados pela Prefeitura do Recife

A CPI da Covid-19 no Senado aprovou um requerimento de compartilhamento de provas da Operação Apneia, que investiga a compra sem licitação de 500 respiradores testados em porcos pela gestão do ex-prefeito Geraldo Júlio (PSB).

A Justiça Federal deu prioridade ao pedido, já tendo o juiz federal do caso aprovado em caráter de urgência o compartilhamento das provas com o Senado, na noite de ontem.

Os respiradores não tinham aval da ANVISA e não estavam aprovados para uso em seres humanos. Mesmo assim, houve a compra pela gestão de Geraldo Júlio, inclusive com o pagamento adiantado de parte dos respiradores.

Em 2021, a Polícia Federal (PF) informou oficialmente que indiciou servidores da gestão anterior da Prefeitura por supostos crimes na compra. Na última terça-feira, o conselheiro Carlos Neves, do Tribunal de Contas do Estado (TCE) apresentou um voto para julgar a dispensa emergencial regular. Foi o assunto da semana, no Estado, nas redes sociais.

Um dos pontos que poderão ser analisados na CPI, informa fonte bolsonarista no Estado, é a decisão do TCE desta semana, que surpreendeu a todos. Segundo outra fonte na Polícia Federal (PF), as provas seriam gravíssimas, mas, apesar de compartilhadas com o TCE a pedido do conselheiro Carlos Neves, teriam sido desconsideradas no julgamento do órgão esta semana.

Foi nesta operação que o Ministério Público Federal (MPF) pediu a prisão temporária do ex-secretário Jailson Correia. O pedido, contudo, foi negado pela Justiça Federal. (Do Blog do Magno Martins).

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.