Delegado que investigou facção criminosa de SP assume apuração da facada contra Bolsonaro

 

A Polícia Federal escolheu o delegado Martin Bottaro Purper para comandar o inquérito que investiga a facada contra o presidente Jair Bolsonaro em 2018, que na época era candidato ao Palácio do Planalto.

Purper já comandou investigações contra façção criminosa de São Paulo. Entre as operações que mirou na organização, está a Operação Cravada, em 2019, que buscou desarticular o núcleo financeiro da facção.

O delegado está na corporação há 17 anos, quando entrou como agente administrativo e depois se tornou delegado federal.

A missão de Martin Bottaro Purper agora é apurar se Adélio Bispo de Oliveira, autor da facada, teve ajuda de alguém para cometer o atentado contra Bolsonaro, ou se agiu a mando de outra pessoa.

Duas investigações precedentes da Polícia Federal apontaram que Adélio Bispo de Oliveira cometeu o crime sozinho. A justiça entendeu que ele é doente mental, por isso, foi absorvido da pena.

Em dezembro, a PF enviou o delegado que era responsável pelo inquérito para os Estados Unidos. Rodrigo Morais Fernandes foi designado para trabalhar por dois anos como oficial de ligação da PF em uma força-tarefa nos Estados Unidos.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.