Prefeito de Floresta é multado por irregularidades nas contratações temporárias da prefeitura

A Segunda Câmara do TCE-PE julgou irregulares 1.547 contratações temporárias feitas pela Prefeitura de Floresta no segundo e terceiro quadrimestres de 2017. O período coincide com o primeiro ano de mandato do prefeito Ricardo Ferraz.

O TCE-PE levou em consideração que o último concurso público realizado pela prefeitura foi em 2015 e que existia uma Medida Cautelar do tribunal determinando ao atual prefeito a suspensão de todos os contratos temporários, que resultassem na extrapolação do limite de gastos com pessoal previsto pela Lei de Responsabilidade Fiscal (LRF).

O TCE também constatou que o gestor deixou de enviar ao sistema Sagres informações sobre 132 dos 1.547 contratados, caracterizando sonegação de dados. Por todas essas ilegalidades, o relator ainda aplicou uma multa ao prefeito no valor de R$ 20.850.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.