Prefeito que abusava de pacientes no Ceará é afastado, expulso do partido e tem registro de médico suspenso

O Conselho Regional de Medicina do Ceará (Cremec) determinou a interdição cautelar do médico e prefeito de Uruburetama, José Hilson Paiva, suspeito de praticar abusos sexuais contra mulheres durante consultas ginecológicas. A decisão, divulgada nesssa terça-feira (16), tem efeito imediato e impede que ele exerça a profissão por seis meses.

Apesar de Paiva negar as acusações, vídeos filmados pelo próprio prefeito foram analisados pela Associação Médica Brasileira, que confirmou os estupros. As vítimas e testemunhas dos crimes, que afirmam que foram ameaçadas por vereadores da cidade para que retirassem as acusações, devem prestar depoimento sobre o caso nesta quarta-feira (17).

Um processo de apuração do caso foi instaurado Cremec e pode resultar no afastamento definitivo do médico da profissão. Além disso, o Conselho Cearense de Ginecologia e Obstetrícia afirmou que não reconhece a especialidade de ginecologista do médico.

Paiva também foi afastado da prefeitura de Uruburetama por 90 dias, além de expulso do PCdoB, partido ao qual era filiado. De acordo com a Promotoria, medidas judiciais serão tomadas para certificar a conduta criminosa e punir o prefeito afastado.

(Por Jovem Pan)

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.