Projeto do Deputado Antonio Fernando oficializa e dá nome próprio ao queijo de coalho do Araripe

Avança firme o projeto do deputado estadual Antonio Fernando (PSC) para dar nome, oficializar a produção e garantir novo impulso econômico a uma iguaria exclusiva do Sertão pernambucano. Em breve, os produtores de laticínios do extremo oeste do nosso Estado vão poder colher os frutos do “Queijo de Coalho do Araripe”.

Um projeto de lei que tramita na Assembleia Legislativa de Pernambuco – ALEPE, já aprovado pelas Comissões de Legislação e Justiça e de Agricultura, caminha agora para aprovação final no Plenário da ALEPE. E ainda neste ano de 2021, os produtores rurais e donos de laticínios da Bacia Leiteira do Araripe poderão colher os frutos desta iniciativa parlamentar do deputado Antonio Fernando.

Um dos pontos mais importantes do projeto de lei de Antonio Fernando, é que ele cria uma denominação personalizada para o produto. “É como se estivéssemos ‘batizando’ o queijo, que já existe há mais de um século, mas não tinha um nome próprio. Com isso, aprovado o projeto, nosso queijo de coalho será diferenciado dos demais – produzidos em outras regiões de Pernambuco ou fora do Estado. O nome ‘Queijo de Coalho do Araripe’ servirá como uma marca de qualidade, uma denominação exclusiva do queijo de coalho de nossa região, o único que utiliza o leite pré-cozido (e não ‘in natura’) para a sua produção”, explica o Deputado Antonio Fernando.

Para além da denominação exclusiva – uma conquista de grande valor na tradição e cultura da região sertaneja – com a aprovação do projeto, o “Queijo de Coalho do Araripe” também terá avanços econômicos reais para os produtores de laticínios do Araripe, com a possibilidade de regulamentação total de sua produção, seguindo as regras e normas legais de vigilância sanitária e de comercialização do queijo, dentro e fora das divisas do Estado de Pernambuco.

De acordo com o deputado Antonio Fernando, “a grande vantagem do ‘Queijo de Coalho do Araripe’, o fato de usar leite pré-cozido, era justamente o seu problema. Como a lei estadual atual, que possibilita uma regulamentação mais flexível ao queijo de coalho, só tinha previsão para aqueles que utilizam leite ‘in natura’ em sua produção, o queijo de nossa região ficava de fora das vantagens da legislação. Com isso, os produtores não eram contemplados com o chamado ‘Selo Arte’, que possibilita a comercialização do produto dentro das regras legais de regulamentação”.

Nós também estamos inserindo essa mudança na legislação, para garantir o acesso ao ‘Selo Arte’ e abrindo as portas do ‘Queijo de Coalho do Araripe’ para um mercado mais qualificado, garantindo mais valor agregado na venda pelos produtores. Ou seja, com o acesso ao ‘Selo Arte’, os produtores do laticínio do Araripe trabalharão oficializados, não vão mais precisar atuar na clandestinidade, não dependerão de atravessadores, e garantirão a venda direta do queijo com lucros muito mais vantajosos”, conclui o Deputado Antonio Fernando.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.