Lula tem 49% das intenções de voto e Bolsonaro, 23%, aponta pesquisa Ipec

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva (PT) aparece com 49% das intenções de voto para a Presidência da República para 2022.

Já o presidente Jair Bolsonaro (sem partido) aparece com 23%, segundo pesquisa do instituto Inteligência em Pesquisa e Consultoria (Ipec). A pesquisa foi divulgada nesta sexta-feira (25).

Se considerados os votos válidos, o petista teria 56% das intenções e venceria já no primeiro turno. Já Bolsonaro, ficaria em segundo lugar, com 23% dos votos totais e 26% dos válidos.

A pesquisa avaliou também a viabilidade dos ex-ministros Ciro Gomes (PDT) e Luiz Henrique Mandetta (DEM), bem como do governador de São Paulo, João Doria (PSDB). O pedetista atinge 7% dos votos totais, o tucano paulista, 5% e Mandetta, 3%.

Votos brancos e nulos somam 10%, os que não souberam ou não responderam, 3%.

O instituto Ipec ouviu presencialmente 2.002 eleitores brasileiros em 141 cidades do país entre 17 e 21 de junho. A margem de erro de dois pontos percentuais.

Por região

De acordo com os dados, Lula lidera em todos os segmentos do eleitorado.

No recorte geográfico, o principal reduto do petista continua sendo o Nordeste, onde tem 63% das preferências de voto, com vantagem de 48 pontos porcentuais sobre Bolsonaro.

A menor vantagem do petista ocorre no Sul (35% a 29%). No Sudeste, região que concentra o maior número de eleitores, o ex-presidente tem 47%, e seu principal rival, 24%.

Nesta quinta-feira (24), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF), Gilmar Mendes, estendeu a suspeição do ex-juiz Sergio Moro a todos os processos do ex-presidente em que o magistrado atuou. Os processos do sítio de Atibaia e sobre o Instituto Lula voltaram, portanto, à estaca zero.

Em março, o STF decidiu que o ex-juiz Moro foi parcial ao condenar o ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva no caso do triplex do Guarujá. Com esse movimento, Lula se tornou elegível novamente.

Potencial de voto

A pesquisa também perguntou se os eleitores votariam com certeza ou poderiam votar ou se não votariam de forma alguma em determinado candidato.

Em Lula, 61% dos entrevistados disseram que votariam com certeza ou poderiam votar nele (11 pontos percentuais a mais que em fevereiro), 36% que não votariam de jeito nenhum (8 p.p. a menos), e 3% afirmaram que não conhecem o suficiente ou não responderam.

Para Bolsonaro, 62% disseram que não votariam de forma nenhuma (6 p.p. a mais), 33% que votariam com certeza ou poderiam votar (queda de 5 p.p.) e 4% que não conhecem o suficiente ou não sabem (variação negativa de 1 p.p.).

Rejeição

Nos últimos quatro meses, o potencial de votos de Bolsonaro caiu de 38% para 33%, enquanto a rejeição aumentou, aponta a pesquisa, que identificou que 62% dos eleitores afirmam que não votariam em Bolsonaro de jeito nenhum (eram 56% há quatro meses).

No caso do ex-presidente Lula, a taxa de rejeição fica em 36%.

Ciro Gomes também teve avanço em seu potencial de votos, mas em termos mais modestos: passou de 25% para 29% desde fevereiro. A rejeição ao ex-governador do Ceará caiu quatro p.p, mas segue em patamar elevado: 49% dizem que não votariam nele de jeito nenhum.

Já o potencial de votos de Doria passou de 15% para 18%. No entanto, 56% do eleitorado afirma que jamais o escolheria como presidente.

Petrobras reduz preço da gasolina nas refinarias em 1,23%

Petrobras anunciou nesta segunda-feira (18) nova redução no preço da gasolina nas refinarias. O valor do litro passará de R$ 1,9178 para 1,8941 na terça-feira (19), queda de 1,23%.

Na sexta-feira, a petroleira já tinha reduzido o preço em 0,89% que começou a valer no sábado. No mês de junho já foram anunciadas 8 quedas e 2 altas no preço da gasolina.

Em 30 dias, a queda acumulada é de 8,4%. Desde o dia 8 de fevereiro, quando a Petrobras começou a divulgar os preços de referência nas refinarias, o avanço é de 20,39%.

Já o preço do diesel segue congelado em R$ 2,0316, conforme ficou estabelecido pelo programa de subvenção ao combustível anunciado pelo governo, que prevê redução de R$ 0,46 no preço do diesel por 60 dias.

Política de preços

A Petrobras adota novo formato na política de ajuste de preços desde 3 de julho do ano passado. Pela nova metodologia, os reajustes acontecem com maior periodicidade, inclusive diariamente, refletindo as variações do petróleo e derivados no mercado internacional, e também do dólar.

O repasse dos preços cobrados nas refinarias para as bombas depende das distribuidoras e dos donos dos postos.

Levantamento semanal divulgado pela Agência Nacional do Petróleo, do Gás Natural e dos Biocombustíveis (ANP) mostra que o preço médio do diesel recuou 5 centavos nos postos na última semana, para R$ 3,434. A gasolina, por sua vez, registrou média nos postos de R$ 4,572, queda de 3 centavos sobre a semana anterior, quando foi vendida por R$ 4,603 reais por litro. (Do G1 Petrolina)

Prazo para pagar taxa de inscrição no Enem acaba amanhã, quarta feira (23)

Confirmação de pagamento do boleto de inscrição pode levar de 3 a 5 dias úteis

Foto: Reprodução / INEP

Após pagar a taxa de R$ 82 para se inscrever no Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) 2018, candidatos precisam esperar de 3 a 5 dias úteis para que o site registre que a participação na prova está confirmada.

Esse é o período que os bancos levam para comunicar ao Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) que o pagamento foi efetuado corretamente. O prazo para quitar o boleto termina em 23 de maio – e as inscrições encerraram na última sexta-feira, dia 18 de maio.

Caso haja algum problema na confirmação do pagamento, é preciso entrar em contato com o Inep pelo número 0800 616161.

Datas das provas

O Enem acontecerá em dois domingos, nos dias 4 e 11 de novembro:

  • 04/11: 45 questões de linguagens, 45 de ciências humanas e redação.

Duração: 5h30

  • 11/11: 45 questões de ciências da natureza e 45 de matemática.

Duração: 5h (30 minutos a mais do que em 2017)

Horários das provas

  • Abertura dos portões: 12h
  • Fechamento dos portões: 13h
  • Início das provas: 13h30
  • Encerramento das provas: 19h (primeiro dia) e 18h30 (segundo dia) (Informações do G1 – Educação)