Jovem é preso acusado de agredir a avó no Santo Antonio em Ouricuri

Imagem ilustrativa da internet

Geovane Ribeiro da Silva, de 32 anos, foi acusado de ter praticado agressão física contra a sua avó, uma senhora de 70 anos, moradora do bairro Santo Antonio em Ouricuri, no Sertão do Araripe.  Segundo a Polícia Militar (PM), o crime aconteceu na noite de quarta-feira (13).

Ainda de acordo com a PM, parentes dos envolvidos alegaram que o Geovane Ribeiro encontrava-se com sintomas de embriaguez alcoólica, e ao ser aconselhado pela sua avó (vítima), o mesmo passou a agredi-la fisicamente.

Neto é preso por torturar e matar avô para roubar dinheiro no Agreste de Pernambuco

prisao1Um jovem de 18 anos foi preso nesta quinta-feira (7) suspeito de matar o avô, de 78 anos, e roubar R$ 4 mil dele em São Caetano, no Agreste de Pernambuco. De acordo com o delegado Sylvio Romero, o neto foi o mentor do crime – outros dois homens, um de 22 e o outro de 26 anos, também foram presos por participação no latrocínio.

A Polícia Civil cumpriu três mandados de prisão – expedidos pela comarca do município – contra os suspeitos. Ao G1, o delegado explicou que o neto sabia que o avô iria negociar a venda de gado.

“Eles sabiam que a vítima ia para a feira com dinheiro em espécie”, disse Sylvio Romero. Ele afirmou que “como conhecia o trajeto que o avô fazia, o neto planejou o assalto consorciado com os demais”.

Romero detalhou que o homem foi torturado, espancado e atingido por um tiro. O corpo foi arrastado para uma vala e escondido no matagal, conforme disse o delegado. O trio foi ouvido na Delegacia de Polícia Civil e encaminhado para ao Presídio Augusto Duque em Pesqueira, no Agreste. (Do G1/Caruaru)

Avó é acusada de vender cinco netos por R$100 cada na Bahia

conselho tutelar bahiaUma mulher procurou o Conselho Tutelar do município de Jequié, localizado no sudoeste da Bahia, acusando a mãe de vender os cinco netos por R$100,00, cada um deles, na Cidade Baixa, em Salvador. Na mesma semana, Alexandra da Cruz Ferreira procurou os conselheiros alegando que havia recuperado os filhos, de idades entre oito e 15 anos.

Alexandra informou que precisou ir de casa em casa, na capital baiana, para recuperar os filhos. Ela retornou ao conselho se queixando que uma das crianças havia sido queimada pela avó, entretanto, nada foi confirmado. A mulher continua procurando pelo quinto filho que, segundo ela, está em Catu, na região metropolitana de Salvador.

A situação ocorreu após a guarda provisória dos cinco filhos de Alexandra ter sido dada a mãe dela, Rita de Cássia Nascimento da Cruz, que reside em Salvador, por questões de maus-tratos. A mãe das crianças foi acusada de ter queimado a genitália de um dos filhos. Ainda conforme o conselho, nada foi confirmado pelo exame de corpo de delito.

Após a denúncia da mulher sobre a venda das crianças, os filhos retornaram a conviver com a mãe biológica. Visitas do Conselho Tutelar à casa das vítimas ocorrem regularmente para verificar a situação delas.

O conselho informou que, no ato da denúncia da venda das crianças, Alexandra não soube fornecer o endereço e nem o contato da mãe dela, o que teria impossibilitado a investigação. O caso deverá ser encaminhado para o MP (Ministério Público) e para a Vara da Infância e Juventude. (Do r7.com)