Pesquisa CNT/MDA mostra que Lula lidera intenções de voto para eleição presidencial em 2022

O ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva lidera as intenções de voto para presidente em 2022, enquanto o atual ocupante do cargo, Jair Bolsonaro, possui a maior taxa de rejeição entre os eleitores, segundo pesquisa conduzida pela Confederação Nacional do Transporte (CNT) e pela MDA.

Os dados mostram que, na pesquisa espontânea — em que não são apresentados nomes aos entrevistados —, os votos favoráveis a Lula somaram 27,8% do total, enquanto aqueles favoráveis a Bolsonaro foram 21,6%. Em terceiro lugar aparece o ex-ministro Ciro Gomes, com 1,7%, e os indecisos somaram 38,9%.

Na pesquisa estimulada – em que os entrevistados recebem uma lista de nomes para escolher -, Lula aparece com 41,3% das intenções de voto, enquanto Bolsonaro aparece em segundo lugar, com 26,6%. Ciro Gomes aparece novamente em terceiro, com 5,9%, mas empatado com o ex-juiz federal Sergio Moro. Os indecisos, na pesquisa estimulada, caem a 7,8%.

Num segundo turno disputado entre Bolsonaro e Lula, o ex-presidente levaria a disputa com 52,6% dos votos, contra 33,3% do adversário. Os votos brancos e nulos somariam 11,5%, e os que não souberam ou não quiseram responder foram 2,6%. Bolsonaro também perderia para Ciro Gomes (por 43,2% a 33,7%), mas venceria o governador de São Paulo, João Doria (por 36,3% a 33,5%).

Numa disputa de segundo turno entre Lula e João Doria, o ex-presidente venceria com 51,9% dos votos, contra 18,1% do adversário.

A pesquisa também mostrou que 40,3% dos entrevistados preferem que Lula seja o vencedor das eleições presidenciais em 2022, e que 30,1% torcem para que nenhum candidato ligado ao presidente Jair Bolsonaro ou ao ex-presidente Lula vença a disputa. Uma parcela de 25,1% é a favor da vitória de Bolsonaro nas urnas, e os outros 4,5% não quiseram ou não souberam responder.

Os entrevistados também foram questionados sobre o que consideram mais importante nas eleições presidenciais do ano que vem. Para 45,1% deles, o mais relevante é que Bolsonaro não seja reeleito, enquanto 27,7% disseram que o importante é Lula não voltar à Presidência. Uma parcela de 21,2% considerou que nenhuma destas opções era a mais importante, e 6,0% não souberam ou não quiseram responder.

Os índices de rejeição do presidente Jair Bolsonaro, porém, eram os mais altos entre os candidatos aferidos pela pesquisa da CNT/MDA – 61,8% das pessoas ouvidas disseram que não votariam nele para presidente de jeito nenhum em 2022. Em seguida, aparece João Doria (57,9%), sucedido por Sergio Moro (56,7%), Ciro Gomes (52,4%), Henrique Mandetta (51,5%) e, por último, Lula (44,5%).

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas entre os dias 1 e 3 de julho e tem margem de erro de 2,2 pontos percentuais (pp) para mais ou para menos.