Odacy Amorim propõe debate sobre preço da gasolina em Petrolina

O deputado Odacy Amorim (PT) voltou a questionar, na Reunião Plenária desta quarta-feira (22), o valor elevado da gasolina nos postos de Petrolina, no Sertão do São Francisco. Segundo ele, o litro do combustível custa cerca de R$ 4,50, um dos preços mais caros do País. O petista pediu à Comissão de Finanças da Casa que debata o assunto com a Petrobras, a BR Distribuidora, a Secretaria Estadual da Fazenda, o Ministério Público e empresários do setor.

De acordo com Amorim, na cidade vizinha de Juazeiro, na Bahia, o litro de gasolina custa R$ 0,25 a menos. Ele afirmou, ainda, que muitos motoristas estão deixando o carro na garagem e utilizando motos para se deslocar, o que aumenta o risco de acidentes graves.

A gente precisa discutir se isso tem a ver com o imposto, apenas, ou se há um abuso da BR e das outras distribuidoras. Não é justo o povo de Petrolina pagar a gasolina mais cara do Brasil”, disse o deputado, que indicou a possibilidade de criação de uma Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) para apurar informações sobre os preços dos combustíveis. (Da Ascom)

Petrobras anuncia quedas de 3,80% no preço da gasolina e de 1,30% no diesel

 

A Petrobras anunciou um novo reajuste para os combustíveis, com queda de 3,80% no preço da gasolina nas refinarias e recuo de 1,30% no preço do diesel. Os novos valores valem a partir da sexta-feira, dia 17.

A nova política de revisão de preços foi divulgada pela petroleira no dia 30 de junho. Com o novo modelo, a Petrobras espera acompanhar as condições do mercado e enfrentar a concorrência de importadores.

Em vez de esperar um mês para ajustar seus preços, a Petrobras agora avalia todas as condições do mercado para se adaptar, o que pode acontecer diariamente.

Além da concorrência, na decisão de revisão de preços, pesam as informações sobre o câmbio e as cotações internacionais. (Revista Veja)

Preço do botijão de gás sobe entre 8% e 10% em Pernambuco

gasO botijão de gás está mais caro em Pernambuco. Entrou em vigor na quinta-feira (1º) o reajuste de 8% a 10% autorizado pela Agência Nacional do Petróleo (ANP) para as revendedoras do estado. Assim, o bujão de 13 quilos de Gás Liquefeito de Petróleo (GLP) que custava entre R$ 40 e R$ 50 passa a ser vendido por valores que variam entre R$ 43 e R$ 55.

Em Pernambuco, existem 1.800 revendedoras de GLP. Como o mercado é livre, cada uma pode definir o preço final ao consumidor a partir dos limites estabelecidos pela ANP. O reajuste foi concedido com base na variação da inflação, aumento dos custos operacionais e salariais da categoria.

Em Pernambico, são vendidos 1,6 milhão de bujões de 13 quilos por mês. O Sindicato das Empresas Distribuidoras de Gás (Sinergas-PE) alerta que o consumidor deve comprar o GLP apenas em revendedoras autorizadas. Produtos de procedência duvidosa podem colocar em risco a integridade do cliente. (Do G1/PE)