Mestre Aprígio recebe premiação de Patrimônio Vivo de Pernambuco

Um dia de muita emoção e orgulho para o município de Ouricuri. Na manhã desta sexta-feira (16), o artesão Mestre Aprígio recebeu o prêmio de Patrimônio Vivo de Pernambuco. A cerimônia foi realizada no Teatro Santa Isabel, no Recife, e contou com a presença do prefeito Ricardo Ramos, a primeira dama Karoline Barros, o Coordenador de Cultura de Ouricuri, César Milton, Frei França e Geruza Macedo, além dos representantes das Secretarias de Cultura do Recife e de Pernambuco, do Governo do Estado, da Fundarpe e do IPHAN.

Em sua 14ª edição, o Concurso do Registro do Patrimônio Vivo do Estado de Pernambuco tem como objetivo reconhecer, estimular e proteger iniciativas que contribuem para o desenvolvimento sociocultural e profissional de mestres e grupos culturais do estado. Mestre Aprígio, que há três gerações faz do couro a sua arte, deu luz à cultura do Sertão por meio do seu artesanato e consolidou o seu legado. Um dos marcos na sua trajetória foi ter sido responsável pela confecção de chapéus e gibões para o Luiz Gonzaga, no início dos anos 70, que utilizou os acessórios em vários shows por todo o Brasil.

Para o prefeito Ricardo Ramos, a homenagem foi motivo de muita alegria para os ouricurienses. “Esse é um momento único na vida de todos nós, de ter um Patrimônio Vivo da cultura representado pelo Mestre Aprígio. Para mim é uma grande honra ter participado de todo esse processo, através do nosso Coordenador de Cultura, que teve uma articulação fundamental para que pudéssemos obter essa conquista. Ouricuri hoje tem um grande motivo de alegria e de orgulho, no sentido de valorizar a nossa cultura, a nossa arte, o Sertão e o Nordeste”, disse emocionado.

Frei França, um dos responsáveis pela indicação do Mestre Aprígio ao Prêmio, ressaltou a importância de a homenagem ter sido feita a um artista do Sertão pernambucano. “O Mestre Aprígio tem um tipo de trabalho, com o couro, que tem tudo a ver com a figura do sertanejo e do nordestino e ainda não tinha sido contemplado com uma premiação desse tipo. Ele possui uma arte de grande relevância nacional. Para Ouricuri, é uma honra ter um artista como Patrimônio Vivo, que pode inspirar a juventude a recriar e renovar a nossa cultura”, comentou.

Mestre Aprígio

Nascido em Exu no ano de 1941, José Aprígio Lopes, ou Mestre Aprígio, começou a desenvolver o seu trabalho como artesão. Desenvolveu chapéus de couro para artistas da música como Luiz Gonzaga, Gonzaguinha e Alcymar Monteiro. Hoje, filho de Ouricuri, Mestre Aprígio continua trabalhando e fez do couro a sua arte. Ele agora faz parte do Patrimônio Vivo de Pernambuco junto a mais 62 nomes.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Esse site utiliza o Akismet para reduzir spam. Aprenda como seus dados de comentários são processados.